terça-feira, 8 de julho de 2008

Sábado de Alegria



Temos tido uns dias cheios de eventos sociais. Já diz o ditado: não há fome que não dê em fartura! Depois de tanto tempo de isolamento e quase reclusão por estas bandas, agora a nossa vida social anda muito mais rápida do que eu. Entre casamentos em Santos e jantares com portugueses cá em Buenos Aires, temos também o "casamento-no-mesmo-dia-que-o-Cirque-du-Soleil". Foi no passado Sábado: mascarámo-nos de gala e fomos à Igreja ver os noivos trocar as alianças; saímos e fomos para a tenda do Cirque, na Costanera Sur. Vimos o espectáculo (e que espectáculo!) e saímos para jantar, dado que no casamento a refeição já tinha sido servida. Depois de jantar (e com isto já passava da uma da manhã - e lembrem-se de que à noite tenho menos energia que uma aposentada depois de uma vida inteira de trabalho) fomos para a festa do casamento, onde estivemos a dançar até não dar mais.

E não deu mais pouco tempo depois.

O dia seguinte, tal qual um epílogo pós-desenlace, foi passado em absoluta vegetação entre sofá e chaise-longue, a tricotar e a ver televisão.

E assim pude terminar a minha primeira meia tricotada:

O problema de tricotar meias é que é preciso fazer outra igual...

1 comentário:

mariana.santos.ramos disse...

Mas agora é mais fácil: já tens a experiência e o modelo. Em três tempos tens o par concluído. E passas à próxima obra de arte!
Beijinhos