terça-feira, 13 de julho de 2010

Em Nova Iorque comprei livros



Já tinha aqui contado que comprei livros, muitos. No Museu de Arte e Design, o MAD, o vendedor viu-me a escolher cuidadosamente os volumes que ia levar e queria tanto fazer-me um desconto que me perguntou se era estudante (não sou), se os livros eram para fazer pesquisa (não propriamente para uma tese, mas vá), então está bem, aqui vai o desconto. Não o quis contrariar, ora essa, um senhor tão gentil e atencioso, porque pensando bem ainda foi uma nota verde - e podiam ter sido várias.

Na Books of Wonder, uma deliciosa livraria para crianças, comprei livros para as minhas sobrinhas e um outro para uma criança um pouquinho mais crescida - que ninguém desconfie que o livro é para mim.

Na livraria das Nações Unidas comprei o Ecoholic, esse livro bem gordinho que aí está na fotografia.

Comprei também uns quantos livros para ir lendo, mas claramente o mais importante, comprado numa livraria no mercado de Chelsea foi este:

 Uma bíblia, senhores, uma bíblia. Diz quem já leu que é leitura com conteúdo.

2 comentários:

Ana disse...

Já vi ali um livro da Anita Shreve que ainda não li. Visita à FNAC impõe-se!

MAR disse...

O mercado de Chelsea é o máximo não é??? bjo grande