domingo, 13 de setembro de 2009

Domesticite aguda

Hoje deu-me um ataque de domesticite aguda e estive, qual formiga trabalhadeira, a arrumar cómodas, gavetas, despensa e caixas de conteúdos desconhecidos que se amontoavam ali no canto, entalados entre a parede e o aspirador. Quem tem casa, sabe que ele há recantos de algumas divisões onde a vontade de penetrar é francamente baixa, e de mês em mês se vai adiando a resolução daquele acumular de coisas que já nem se sabe o que são.

Depois descobrem-se objectos cujo paradeiro se desconhecia, coisas que nem se sabia que tinha, caixas de cartão cheias de papel de bolinhas, tudo guardado para uma iminente mudança que tarda em chegar. No cômputo final, descobri que vou poder fazer as pastas porta-documentos que estava a precisar a partir de sacos de cartolina.

Já sei que isto não interessa a ninguém, mas enquanto não chegam os relatos das férias é o que há.

E a Primavera está a chegar. Hoje só levei um casaquinho leve à rua, mas já dá para andar sem casaco. Viva Setembro!

1 comentário:

mariana.santos.ramos disse...

Tem piada. Esta manhã também estive na cozinha a mudar plantas (de vaso, de um lado para o outro,etc), a limpar a bancada, a tirar fruta que tinha em cima do armário...
Pode-se dizer que também me deu uma domesticite aguda. Amanhã, a Matilde vai perguntar o que é que me deu...