segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Um saltinho a Puerto Madryn

Foi num instante que o fim-de-semana passou e já deixou saudades. Rever as fotografias e lembrar-me do azul do mar ajudam-me a aguentar os meses até à próxima deslocação à costa atlântica.

Fomos na sexta pela fresca, antes ainda de as galinhas acordarem. Acordaram logo a seguir, claro está, porque a menina do balcão de check-in nos sentou precisamente de ouvido colado à turbina. Num avião velhinho de uma das companhias aéreas menos recomendáveis do mundo (Aerolineas Argentinas, para o caso de quererem saber), lá chegámos sãos e salvos a Puerto Madryn.

Ao sairmos do avião, pensei que aquele vendaval era coisa da danada da turbina, mas não: estava uma ventaneira tal que ao levantar a perna para andar, o vento a levava. Literalmente.

Apesar do tempo, aproveitámos para ir a Punta Tombo, uma reserva onde se localiza uma colónia de pinguins. De momento, estão a chocar os dois ovos que as fêmeas põem e, dentro de algumas semanas, nascerão os filhotes. Pai e mãe intercalam-se na incubação do ovo e quem não está de serviço vai ao mar alimentar-se. Quando volta, toma o lugar do outro para que também ele se possa alimentar.

O dia seguinte, Sábado, amanheceu lindo, cheio de sol e com muito menos vento. Estavam reunidas as condições ideais para irmos ver as baleias! Entrámos na Península de Valdés, parque nacional, e o que se seguiu foi como que andar num parque de diversões, só que natural. À beira da estrada vimos guanacos, ñandús e bichezas exóticas locais. Um pouco mais tarde, já no barco, vimos baleias (da espécie franca austral) com as suas crias. Não dava para ver e tirar fotografias que se aproveitassem, portanto decidi ver. E não é que fui recompensada com uma subida e consequente mergulho de costas por uma baleia de várias dezenas de toneladas? O passeio foi lindo, lindo, e felizmente ainda trago os olhos cheios de mar. Isto de viver longe da costa... às vezes custa.

DSC05217

Depois do barco, almoçámos e fomos procurar os elefantes-marinhos.

Elephant seals in Península Valdés

Elephant seals in Península Valdés

Os elefantes-marinhos vivem organizados em haréns.

(Pausa para comentários jocosos. Fim da pausa para comentários jocosos.)

Depois de quase um ano passado no mar, estes bichos vão para terra para a etapa de reprodução. Durante este período raramente voltam à água, o único lugar de onde provém a sua alimentação. Por esta razão, perdem muito peso durante o tempo em terra. As mães, depois de darem à luz, amamentam as crias durante algumas semanas e dá-se um fenómeno de "transmissão de massa": as crias, alimentadas exclusivamente com leite materno, duplicam o seu tamanho em pouco tempo; as mães, em contrapartida, saem muito esbeltas deste período, até porque não se alimentam enquanto estão em terra.

Poucos dias depois de darem à luz já o macho do harém as emprenhou outra vez. Mas por ainda estarem a amamentar a cria, o embrião fica a "hibernar" e só se implanta no útero três meses mais tarde. A gestação dura mais nove meses, o que significa que a elefanta-marinha está sempre grávida. Um despacho!

Tongues of fire goes elephant seal-watchingO tricot também foi passear. Pode não entrar na cabine do avião, mas lá ver elefantes-marinhos, vê.

Daqui, fomos espreitar uma mini-colónia de pinguins. Pequenina, mas linda.

DSC05260

Voltámos a Puerto Madryn com a estepe patagónica por paisagem, embalados pelo ronronar do motor da camioneta. A sesta perfeita, depois do dia perfeito.

5 comentários:

Ri disse...

billyzinha...
adorei este saltinho! :)
é sempre bom ver esses lugares aí no sul... esse azul forte... essas imagens incríveis.

também é bom ver as tuas produções no tricot.
e claro... é muito BOM ler o teu blog!
beijo grande.

Billy disse...

Obrigada, Ri!

É sempre bom ter a tua visita (real e virtual). Muitos beijinhos para o menino das pestanas!

Bau disse...

Esse tricô é um sortudo! É lindo e vai passear com amigos a um dos lugares que há-de estar no top dos mais bonitos do planeta. Quero ser esse tricô!!! Ai viiida!

sarita disse...

Que Maravilhoso!!!!! Que viagem de sonho!!! Beijinhos para todos! :)

Anónimo disse...

Que felicidade !
Como já era de esparar a Argentina tem sempre uns encantos escondidos que vale a pena descobrir!
Boa continuação dessas maravilhosas experiências : passeio,tricot,gastronomia...
bjs