quarta-feira, 20 de maio de 2009

A descoberta da Antárctida. Ou talvez não.

Já sei que houve uns senhores quaisquer que foram em expedição à Antártida; houve até quem filmasse lá documentários sobre pinguins e coisas assim. Mas a verdadeira descoberta, a verdadeira descoberta para mim, foi ver o seu contorno representado de "frente", tanto quanto uma superfície esférica pode ser representada de frente, quero dizer: sem as distorções habituais dos planisférios.

have you ever seen Antartida represented this way?

Vêem ali o "time to destination: 8:12"? Isto passou após umas seis horas de voo. Não é que não estejamos habituados a voos de longo curso, mas realmente há limites, senhoras e senhores, e quando aterrámos na Argentina pensei: "ainda bem que agora viagem longa só para Agosto".

Sydney e Buenos Aires estão praticamente à mesma latitude e até têm um clima bastante parecido (mais humidade, menos humidade - e aparentemente um Inverno mais rigoroso por estas bandas). Quem vê no mapa, vê uma recta bem horizontal entre os dois pontos e imagina que o voo terá uma rota orientada a oeste (para a Austrália) e a leste (de regresso à Argentina). Enfim, já me tinham falado da rota polar, mas apesar de saber da possibilidade, penso que realmente nunca tinha visualizado bem o que seria tomar tal caminho.

Posto isto, quando saímos de Buenos Aires e o avião rumou a sul, assim como quem vai a Ushuaia comer uma sopa de centolla, pensei cá para com os meus botões: "tu queres ver? Será que...?".

E vai daí, foi. Rumámos a sul, bem a sul, ainda mais a sul, e mais, e mais ainda. À beira da Antárctida estivemos horas a fio, parecia que o aviãozinho no monitor não avançava. Depois, quando já não havia mais sul para onde ir, rumámos a norte. E norte, e norte e norte, passámos pela Nova Zelândia, Tasmânia, até finalmente aterrar em Sydney, confusos, cansados e com os sonos totalmente trocados.

O regresso foi igual. Ajudados pela rotação da Terra - ou pelos ventos, não sei, não sou especialista em aeronáutica - a viagem ficou uma hora e quaisquer trocos mais curtinha, Buenos Aires cada vez mais perto, juntamente com a minha casa e o meu duche, meu, meu!

Sydney > Buenos Aires

E assim se prova que a menor distância entre dois pontos não é uma linha recta!

3 comentários:

Ri disse...

que máximo!!!!!
adorei saber isto.
:)

alcinda leal disse...

Oh Billy vou ter que ir buscar um mapa e ler ao mesmo tempo que traço o percurso porque de outra forma não consigo visualizar!
Mas é bom aprender!Obrigada
Bjs
Alcinda

mariana.santos.ramos disse...

Que emoção!